Cuidados a observar

Cuidados a observar

A montagem dos colectores é uma das operações mais importantes de uma instalação de energia solar. Calculado em projecto o angulo de inclinação dos colectores que optimiza a instalação, função da latitude, do local e da aplicação que se pensa dar a energia solar, é preciso materializa-lo mediante um sistema de fixação e suporte adequado.
O tipo de encaixe de um colector dependerá da localização ser em telhado inclinado ou plano (terraço) e da pressão do vento. Sabendo que os colectores solares estão normalmente virados a sul, deve-se ter especial atenção aos ventos de Norte que exercerão uma grande força de tracção sobre os encaixes do suporte. E sempre importante considerar medidas contra eventuais sobrecargas dinamicas que possam originar o desprendimento dos colectores. Os colectores devem situar-se de tal forma, que durante o período anual de utilização aproveitem ao máximo a radiação solar disponível.
 Devem ser orientados a SUL geográfico, não coincidente com o sul magnético definido pela bússola, já que em Portugal o Norte geográfico está cerca de 5º para a direita do Norte magnético.
 O Sul geográfico pode também determinar-se pela direcção da sombra projetada por uma vara às 12 horas solares.
Desvios até 20º não afectam significativamente o rendimento e a energia térmica captada pelo colector.

Se desviarmos o colector para o Este, adiantamos o período diário de captação (1 hora por cada 15º de desvio), referente a um equipamento orientado a Sul geográfico.
Se o desviarmos para o Oeste, o período diário de captação atrasar-se-á na mesma porção, mas com um ligeiro acréscimo no rendimento, pelo facto de funcionar mais tempo durante as horas em que a temperatura ambiente é mais elevada.  Portanto, tentaremos que a radiação solar incide perpendicularmente à superfície do colector durante o meio dia solar do dia habitual da época de utilização do equipamento, o que nos obrigará a orientá-lo para o equador, isto é, da maneira que a sua sombra, ao meio-dia, siga a direção do meridiano, sendo válido este sistema para ambos os hemisférios.

Variações de 10º relativamente ao ângulo de inclinação óptimo não afectam práticamente o rendimento e a energia térmica útil fornecida pelo equipamento solar.

Desvios de orientação e inclinação superiores aos descritos devem compensar-se com uma maior superfície de colectores.
Se o desvio for inferior, não irá provocar perdas significativas.

Contacto

energia-solar-térmica-tisst

© 2015 tisst.net -Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode